COMPARTILHAR

É inegável que o esporte é capaz de ajudar e mudar a vida das pessoas, um exemplo é o futebol, vale lembrar que no mercado futebolístico, além de auxiliar a mudar a vida dos atletas e familiares dos jogadores rola muita grana. Pode até não parecer, mas tem clube em Goiás, que tem olhado primeiro para a parte social e depois para o lucro. É o caso do Aparecida Esporte Clube e o Esportenet.tv conversou com o diretor de futebol Henrique Gonçalves na manhã desta quarta-feira (3/4) que contou um pouco mais sobre o projeto.

“Por sempre gostarem muito de futebol, os diretores do grupo Canãa, Wilson Valeriano e Iris Valeriano, tiveram a idéia de assumir o clube, após em 2017 apoiar a Associação Esportiva Evangélica (Aseev) na disputa da Divisão de Acesso e em 2018 surgiu a oportunidade de assumir o Aparecida Esporte Clube”, conta o diretor de futebol.

De acordo com Henrique Gonçalves a diretoria buscou implantar um projeto sólido nas categorias de base para chegar a Taça São Paulo de Futebol Júnior e subir o Aparecida de divisão, pois a equipe estava na terceira divisão estadual. O diretor do clube lembra que no primeiro ano não foi possível chegar a copinha, mas conseguiram colocar a equipe na divisão de acesso do Campeonato Goiano.

Henrique Gonçalves - Diretor de Futebol do Aparecida Esporte Clube

“Quem acompanhou o Aparecida ano passado sabe que de fato foi ele que conquistou a vaga para a Taça São Paulo, pois terminou na quarta colocação no último campeonato goiano até então sub-19 e normalmente vão quatro times goianos para a competição, mas infelizmente não foram adotados critérios técnicos e levaram o Vila Nova que terminou em sexto”, crítica.

Apesar de não conquistar a vaga para a principal competição de base do país, Henrique Gonçalves classificou a conquista do acesso a segunda divisão do estadual como grande, mas que o ano de 2018 poderia ter sido melhor para o clube.

Segundo o diretor do clube a escolha por Aparecida de Goiânia foi pelo fato da cidade ser a segunda maior do estado e a proximidade com a capital, o que facilita muito para resolver qualquer pendência.

O que busca o Aparecida Esporte Clube

Lembra que falamos anteriormente que no futebol rola muito dinheiro e também é possível mudar a realidade de jogadores e de suas famílias. Henrique Gonçalves também fala sobre essa parte do projeto, onde ela afirma que seria hipócrita ao não visar o lucro.

“Nós primeiramente buscamos levar em conta a parte social que o futebol faz, investir na base e automaticamente tirar muitos adolescentes das ruas, das drogas. E isso tem que ser levado em conta, e sei que o futebol tem muita cobrança, pois temos sim que revelar jogadores, já que existe um investimento, porém o lado social não é o menos importante”, salienta o diretor do clube.

Ao ser questionado sobre a questão de investir na base e dar oportunidade para os jovens atletas sair das ruas, sem visar inicialmente o lucro, o diretor do clube é taxativo e afirma que isso não atrapalha e que estaria sendo hipócrita ao falar que o projeto não busca lucro.

“Mesmo visando um projeto social, o grupo que disputou a terceira divisão tinha trinta atletas que compunham o elenco profissional, dos quais 12 subiram das categorias de base, entre eles dois titulares. E claro que temos nosso critérios técnico para dar as oportunidades, por isso o nosso objetivo esse ano é conquistar o acesso à elite do futebol goiano”, conta o diretor.

Com o objetivo de conquistar o acesso à primeira Divisão do próximo ano, o diretor de futebol do Aparecida Esporte Clube afirma que o maior sonho dos dirigentes hoje é fazer da agremiação um clube respeitado e conhecido por todos como um projeto de pessoas sérias e honestas. “Onde buscamos primeiramente fazer justiça e só assim conseguiremos ser grandes um dia”, concluiu.

Facebook Comments
COMPARTILHAR
Artigo AnteriorNeymar posta mensagem parabenizando Gabriel Jesus por aniversário
Próximo Artigo“Não gastaria meio Bernabéu em Mbappé”, diz ex-presidente do Real Madrid
Jornalista formado pelas Faculdades Alfa, hoje conhecida como Centro Universitário UniAlfa. Além de escrever para o EsporteNet.Tv, narrei e comentei jogos de Futebol, Vôlei, Futebol Americano, Rugby, MMA, Taekwondo todos pelo EsporteNet.Tv. Trabalhei durante 3 anos no Diário do Manhã como repórter da categoria Online, e na metade do primeiro ano, divide as funções tanto no Online como na TV Web da empresa o DMTV. Isso fui um pouco do que eu fiz. Acredito que toda modalidade deva ter o seu espaço e foi por esta razão que me juntei ao projeto do EsporteNet.Tv, para abrir caminho e dar a visibilidade que outras modalidades esportivas merecem, assim como o futebol.