COMPARTILHAR

Após a corrida de estreia da temporada de 2020 da Fórmula 1, o Grande Prêmio da Austrália, ser cancelada, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) anunciou que as férias de agosto das equipes foram antecipadas para março/abril. O objetivo é deixar o mês livre para a realização das etapas adiadas por conta da pandemia do coronavírus.

A nota ainda afirma que as férias terão 21 dias de duração, sete a mais que as de agosto. A determinação foi aprovada pelo Grupo de Estratégia e pela Comissão da categoria.

FIA pretende deixar agosto livre para as corridas adiadas (Foto: Reprodução/FIA)

A organização já adotou outras medidas em meio ao novo vírus. Além do cancelamento da prova de estreia, os GPs de Bahrein, Vietnã e China foram suspensos. A Ferrari também anunciou o fechamento de suas fábricas da F1. As escuderias vão se reunir nesta quinta para analisar um novo calendário para a temporada.

Confira a nota da FIA na íntegra:

“À luz do impacto global do coronavírus COVID-19, que atualmente afeta a organização dos eventos do Campeonato Mundial de Fórmula 1 da FIA, o Conselho Mundial de Automobilismo aprovou uma mudança nos Regulamentos Esportivos da FIA de Fórmula 1 de 2020, mudando o período de parada do verão de julho e agosto para março e abril e estendendo-o de 14 para 21 dias. Todos os concorrentes devem, portanto, observar um período de paralisação de 21 dias consecutivos durante os meses de março e/ou abril. A mudança foi apoiada por unanimidade pelo Grupo de Estratégia da F1 e pela Comissão da F1”.

Facebook Comments