COMPARTILHAR
Carro da Haas é um dos mais rápidos do ano (Foto: Divulgação)

A situação da Haas na temporada está longe da ideal, já que a construtora é apenas a oitava no ranking geral e não pontuou em quatro das sete epatas que aconteceram até o momento. O pior é que o carro da equipe americana é o quarto mais rápido em muitas oportunidades e treinos, o que frustra ainda mais os chefes da Haas.

E no Canadá, no último GP, mais uma vez, a equipe saiu zerada, o que levou o chefe Gunther Steiner a lamentar a má sorte da equipe. “Foi um daqueles fins de semana desastrosos. A única coisa que podemos fazer é nos reagrupar e  tentar melhorar. Deve haver um fim para esse azar todo. Eu acho que há um ponto em que você não pode ficar mais irritado, deve haver uma tendência positiva em algum momento, porque não pode ficar pior. Espero que esse ponto venha logo”, disse Steiner.

Para completar, no primeiro GP da temporada, na Austrália, a equipe viu Kevin Magnussen chegar em sexto, o que parecia um bom começo, mesmo com Romain Grosjean tendo que abandonar a corrida de Melbourne. Foi já a partir do segundo GP que as coisas desandaram de vez para a Haas. São só dezesseis pontos somados, sendo apenas dois de Grosjean.

O francês se mostrou surpreso com o desempenho ruim que vem tendo no ano. “Obviamente, há muito a melhorar, mas no geral acho que estou pilotando muito bem. Mas as minhas qualificações não têm sido as minhas melhores – o que é surpreendentemente, porque normalmente sou bom nisso – mas o ritmo de corrida está satisfatório”, comentou Grosjean.

Facebook Comments