COMPARTILHAR

O final de ano bem abaixo das expectativas no Corinthians não alegrou a torcida dentro de campo, mas pode garantir um pouco mais de tranquilidade fora dele. Atormentada por desmanches de equipes campeões nos últimos tempos, a Fiel não deve sofrer com a perda de atletas importantes entre dezembro e janeiro, justamente pelo encerramento de temporada ruim da equipe.

Sem grandes destaques individuais, o Timão tem nos selecionáveis Cássio e Fagner, além dos jovens Léo Santos, Pedrinho e Mateus Vital seus principais ativos no mercado. Enquanto os dois primeiros se veem bastante confortáveis no clube que defendem há sete e cinco temporadas, respectivamente, a garotada concentra os esforços da diretoria pela continuidade. As saídas devem ser recheadas de atletas que decepcionaram na temporada.

“Essa pergunta é mais para o empresário. Pode perguntar que é o mesmo dos dois (risos)”, disse Cássio, referindo-se ao agente Carlos Leite. “Se chegou  proposta a gente não ficou sabendo, mas é difícil ter uma mudança”, assegurou o arqueiro, lembrando que o companheiro, assim como Léo e Pedrinho, veio das categorias de base alvinegras, chegando ao profissional no já longínquo 2006.

Enquanto Pedrinho é alvo de grandes clubes europeus, mas tem na multa rescisória (50 milhões de euros) o maior trunfo do clube pela permanência, Léo e Vital são vistos como pilares para a equipe do ano que vem. Depois de uma temporada de adaptação em 2018, ambos têm potencial para serem titulares absolutos na próxima temporada na avaliação do departamento de futebol.

Dono de mercado e 29 anos, além de jogar em uma posição que não costuma revelar grandes craques, Fagner assegura que sua cabeça está voltada para as férias. Ele e o camisa 12 foram os únicos jogadores do time titular do Brasileiro 2015 que não deixaram o Timão em nenhum momento. Ralf e Jadson, hoje no elenco, passaram temporada na China neste intervalo de tempo.

“Por estar aqui há muito tempo tenho identificação tremenda com o clube. Não sabemos o dia de amanhã, mas eu estou com a minha cabeça tranquila. A única certeza é que eu vou entrar de férias, refrescar a cabeça e voltar bem em 2019”, concluiu Fagner.

Tomás Rosolino

Facebook Comments