COMPARTILHAR

Empenhado em contratar Jorge Sampaoli, o Palmeiras já iniciou os contatos para viabilizar a negociação. Uma definição, porém, depende de tratativas diretas com o atual técnico do Santos, o que acontecerá apenas a partir de segunda-feira, após o Campeonato Brasileiro.

Sampaoli já liberou intermediários para tratar da possível transferência ao Palmeiras. De acordo com informação publicada pelo Uol, as duas partes se reuniram na última quinta-feira e os representantes do técnico pediram cerca de R$ 21 milhões anuais para toda a comissão técnica, além de contrato válido por duas temporadas.

Embora tenha autorizado pessoas a iniciar as negociações em seu nome, Jorge Sampaoli não costuma fechar novos contratos por meio de intermediários. Um eventual desfecho positivo das tratativas com o Palmeiras depende, portanto, de um encontro olhos nos olhos entre as partes.

Sampaoli tem contrato com o Santos até o fim de 2020, mas sua permanência é improvável e, a partir de janeiro, não há multa rescisória. O técnico mantém relação desgastada com o presidente José Carlos Peres e lamentou a recente saída do superintendente de futebol Paulo Autuori, antes seu principal interlocutor.

O principal motivo de insatisfação para Sampaoli no Santos é a insegurança sobre o planejamento e a perspectiva de trabalhar com orçamento reduzido em 2020. O maior poderio financeiro, inclusive, é um aspecto que pode favorecer o Palmeiras, em busca de um nome para aliviar a pressão intensa de conselheiros e torcedores.

Por outro lado, Sampaoli desfruta no Santos de uma rara estabilidade no cargo, algo inexistente na tumultuada gestão do palmeirense Maurício Galiotte. O argentino nunca chegou a correr risco de demissão no time praiano, apesar das goleadas contra Ituano e Botafogo-SP no Campeonato Paulista, por exemplo.

Pela 38ª e última rodada do Campeonato Brasileiro, programada para as 16 horas (de Brasília) de domingo, Palmeiras e Santos enfrentam Cruzeiro (Mineirão) e Flamengo (Vila Belmiro). Com o torneio devidamente encerrado, Jorge Sampaoli fica livre para tratar pessoalmente com o clube alviverde.

Bruno Ceccon e Lucas Musetti

Facebook Comments