COMPARTILHAR

Após a saída do técnico Odair Hellmann, o Fluminense venceu apenas um jogo em cinco disputados, mas o mau momento não abala a confiança da diretoria em Marcão, escolhido para comandar o Tricolor na reta final do Campeonato Brasileiro.

Presidente do clube, Mário Bittencourt garante a permanência do treinador. “A opção pela comissão técnica permanente é um projeto nosso que assumimos em 2019, depois da passagem de dois treinadores. Eu não tenho filosofia de tirar os treinadores, acho importante isso. Acreditava no trabalho do Odair e queria que ficasse para 2021. Como isso não aconteceu, usamos o mesmo método que usamos em 2019”, analisou.

“Estávamos em 16º ou 17º, com aproveitamento baixíssimo. Fizemos essa opção na luta contra o rebaixamento, e a comissão permanente entregou um resultado de 56%. Ela venceu três dos primeiros quatro jogos, depois ficamos cinco rodadas sem vencer, até retomarmos o caminho das vitórias, classificarmos para a Sul-Americana e escaparmos do rebaixamento”, declarou o presidente, em coletiva, nesta sexta-feira.

Bittencourt relembrou 2019, quando Marcão assumiu o time e ajudou na briga contra o rebaixamento. Mário reforça a escolha pelo técnico e mostra otimismo quando o assunto é a vaga para a Libertadores. “Quando Odair nos comunicou da saída, estava em casa ainda recuperando da covid-19, falei com o Paulo (Angioni) por telefone e optamos por repetir o que aconteceu em 2019, justamente porque conhecia o dia a dia do trabalho. Nós entendíamos que buscar um treinador naquele momento talvez não trouxesse um nome que a gente tivesse convicção. E talvez alguns não aceitassem também porque pegar trabalho no meio não é qualquer treinador que aceita. Se a gente tiver 50%, 51% até o final da competição, teremos um aproveitamento parecido e certamente conseguiremos alcançar a vaga na Libertadores ou na Pré-Libertadores”, acrescentou.

O Fluminense volta a campo neste sábado e recebe o Sport, às 19h (de Brasília), no Estádio Nilton Santos, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Maracanã está entregue à Conmebol para a final da Libertadores. O Tricolor está na sétima colocação da competição, com 43 pontos.

Gazeta Press