COMPARTILHAR

A atuação do árbitro Douglas Marques Flores no Majestoso disputado neste sábado deixou os são-paulinos enfurecidos. O diretor executivo de futebol Raí decidiu passar pela zona de entrevistas do Estádio do Morumbi após o empate sem gols para criticar asperamente o juiz e cobrar a Federação Paulista de Futebol (FPF).

No lance que deixou os donos da casa insatisfeitos, ocorrido aos 47 minutos da etapa complementar, Igor Gomes avançou com a bola dentro da área e, após contato com Camacho, foi ao chão. O árbitro Douglas Marques das Flores mandou a partida seguir normalmente.

“Estamos sendo roubados dentro de casa. Seja em clássicos ou contra time pequeno. É uma coisa inaceitável. Tem que ser questionado e vamos até as últimas consequências para que seja resolvido esse problema. Acho que é um problema da Federação, da política da arbitragem”, disse Raí.

Escalado para apitar o clássico pela sexta rodada do Campeonato Paulista, Douglas Marques Flores no meio de semana protagonizou uma confusão na Copa do Brasil. Ao comentar a performance do juiz, Raí citou o duelo entre Brusque e Sport, coincidentemente também marcado por lance polêmico nos acréscimos.

“Temos que questionar a política da Federação. O São Paulo não pode ser mais cobaia de árbitro. Jogamos um clássico e veio um árbitro que teve confusão na quarta. É capaz de ser suspenso pela CBF e há juízes experientes apitando no interior. O São Paulo mais uma vez foi prejudicado. A Federação tem que assumir seus erros e trazer soluções”, cobrou.

Revoltados, os são-paulinos pressionaram o árbitro após a saída da equipe de arbitragem do gramado. “Foi uma reação natural que os jogadores tiveram (em campo) e que a gente teve aqui, questionando e querendo saber algumas respostas, que agora vamos buscar na Federação”, disse Raí.

Bruno Ceccon

Facebook Comments