COMPARTILHAR

Após não ter sido relacionado para a partida de estreia do Paris Saint-Germain no Campeonato Francês, Neymar também não estará à disposição do técnico Thomas Tuchel para a partida diante do Rennes, neste domingo. O brasileiro, no entanto, neste sábado, treinou pela primeira vez na semana com o grupo.

Após a atividade, o comandante do PSG foi perguntado sobre a situação do camisa 10, que segue com futuro indefinido.

“Não sei se o tempo muda alguma coisa. Ele é meu jogador, e está no meu vestiário. Quando penso em uma equipe forte, penso em uma equipe com o Ney. Mas o Ney em um estado de espirito bom, agressivo, correndo, driblando, livre e totalmente em forma. Se eu penso em uma equipe do PSG forte, eu penso em uma equipe com o Ney, sempre. Nossa relação é a mesma porque é algo dele com o clube. Se ele não encontrar solução, ele fica aqui com a gente. Ele tem contrato aqui de 3 anos. E nada mudou”, disse.

Na sequência, o treinador também comentou sobre os protestos da torcida, que xingaram Neymar na estreia do Francês.

“Não falei com ele, mas sei que ele é sensível. Estou convencido que ele sabe que não é fácil entrar e convencer a todos que ele está aqui por nós, mas esse é o desafio que temos e devemos fazer juntos. Eu vou o proteger ele sempre e ao mesmo tempo vou encorajá-lo esperar ele no seu melhor nível possível. Esse é o desafio, ele deve entrar com a equipe. Treinar com a gente, ter intensidade. Penso em um Neymar mais agressivo, com a capacidade de jogar 90 minutos no seu melhor nível”, completou.

console.log(‘Aud01’);

Facebook Comments