COMPARTILHAR

Na noite desta terça-feira, foram anunciados os vencedores do Prêmio Brasil Olímpico 2021, homenageando os principais nomes do esporte nacional em 2021. Rebeca Andrade e Isaquias Queiroz, que conquistaram o ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio, levaram as principais categorias de melhores atletas. A cerimônia aconteceu no Teatro Tobias Barreto, em Aracaju.

Rebeca estava concorrendo com Ana Marcela Cunha, ouro na maratona aquática, e Rayssa Leal, prata no skate park. Além do ouro no salto, a ginasta conquistou a prata no individual geral. Enquanto isso, Isaquias superou Italo Ferreira, ouro no surfe, e Hebert Conceição, ouro no boxe. A medalha de ouro do atleta de canoagem veio na categoria C1 1000m.

O prêmio de Atleta da Torcida ficou com Fernanda Garay, que se aposentou da seleção feminina de vôlei em Tóquio, com 41% dos votos – foram mais de 400 mil pessoas votando no site do Comitê Olímpico Brasileiro, um recorde.

Além das premiações máximas da noite, cada modalidade teve um vencedor pelo desempenho na temporada. Veja os destaques por esporte:

Atletismo – Alison dos Santos

Badminton – Ygor Coelho

Basquete 3×3 – Fabrício Veríssimo

Basquete 5 x 5 – Clarissa dos Santos

Beisebol – Thyago Vieira

Boxe – Hebert Conceição

Canoagem Slalom – Ana Sátila

Canoagem Velocidade – Isaquias Queiroz

Ciclismo BMX Freestyle – Eduarda Bordignon

Ciclismo BMX Racing – Renato Rezende

Ciclismo Estrada – Vinícius Rangel

Ciclismo Mountain Bike – Henrique Avancini

Ciclismo Pista – Wellyda Rodrigues

Desportos na Neve – Michel Macedo

Desportos no Gelo – Nicole Silveira

Escalada Esportiva – Felipe Ho Foganholo

Esgrima – Nathalie Moellhausen

Futebol – Richarlison

Ginástica Artística – Rebeca Andrade

Ginástica de Trampolim – Camilla Gomes

Ginástica Rítmica – Duda Arakaki

Golfe – Alexandre Rocha

Handebol – Bruna de Paula

Hipismo Adestramento – João Victor Oliva

Hipismo CCE – Carlos Parro

Hipismo Saltos – Marlon Zanotelli

Hóquei sobre Grama e Indor – Vinicius Vaz

Judô – Mayra Aguiar

Karatê – Vinícius Figueira

Levantamento de Pesos – Jaqueline Ferreira

Maratona Aquática – Ana Marcela Cunha

Nado Artístico – Laura Miccuci e Luisa Borges

Natação – Bruno Fratus

Pentatlo Moderno – Danilo Fagundes

Polo Aquático – Ana Beatriz Mantellato

Remo – Lucas Verthein

Rugby – Isadora Cerullo

Saltos Ornamentais – Kawan Pereira

Skate – Rayssa Leal

Softbol – Mariana Pereira

Surf – Italo Ferreira

Taekwondo – Milena Titoneli

Tênis – Luisa Stefani e Laura Pigossi

Tênis de Mesa – Hugo Calderano

Tiro com Arco – Marcus D’Almeida

Tiro Esportivo – Felipe Wu

Triathlon – Vittoria Lopes

Vela – Martine Grael e Kahena Kunze

Vôlei – Fernanda Garay

Vôlei de Praia – Duda Lisboa

Wrestling – Laís Nunes

Antes da cerimônia, quatro atletas foram eternizados no Hall da Fama do Comitê Olímpico Brasileiro: Magic Paula, prata no basquete nos Jogos de Atlanta de 1996, Sebastián Cuattrin, que conquistou 11 medalhas em jogos Pan-Americanos na canoagem, e os já falecidos Adhemar Ferreira da Silva, bicampeão olímpico no salto triplo, e Tetsuo Okamoto, primeiro medalhista olímpico da natação brasileira: bronze nos 1.500m livre, em Helsinque 1952.

Janeth dos Santos Arcain, uma das grandes destaques da geração de basquete feminino que conquistou a prata em Atlanta 1996 e o bronze em Sydney 2000, recebeu o Troféu Adhemar Ferreira da Silva. O prêmio representa valores construtivos e positivos do esporte. A ex-atleta recebeu homenagem da filha de Adhemar, Adyel Silva.

Rayssa Leal, a Fadinha, levou o Troféu Inspire, que congratula uma mulher de destaque no Movimento Olímpico do Brasil. Em Tóquio, a atleta de 13 anos conquistou a prata no skate street.

Foram quatro os treinadores que receberam troféus pelo desempenho no comando de atletas em 2021: Mateus Alves (boxe), Lauro Junior (canoagem velocidade), Francisco Porath (ginástica artística) e André Jardine (futebol masculino – esporte coletivo).

Antes dos Jogos de Tóquio, o maior número de medalhas conquistadas pelo Brasil em uma edição de Olimpíadas havia sido em 2016, no Rio de Janeiro. Na ocasião, o país subiu ao pódio 19 vezes, com sete ouros, seis pratas e seis bronzes. No Japão, os brasileiros chegaram à marca de 21 medalhas, sendo sete ouros, seis pratas e oito bronzes.

Pedro Nascimento