COMPARTILHAR

O ex-presidente da Juventus, Giovanni Cobolli Gigli, criticou a postura de Cristiano Ronaldo durante a pandemia do coronavírus. Segundo o italiano, o jogador não deveria ter deixado a Itália para ir à Ilha da Madeira, onde está desde que a quarentena começou.

“As coisas na Juventus ficaram complicadas quando Cristiano Ronaldo foi embora. Ele disse que estava indo para Portugal por causa de sua mãe, mas agora ele parece apenas estar tirando fotos na piscina. Quando a exceção foi feita para ele, as coisas desmoronaram e outros também quiseram ir embora, mas não deveria ter sido assim. Todos eles deveriam ter sido colocados em quarentena”, contou à Radio Punto.

O dirigente ainda disse os atletas que saíram do país terão mais dificuldades para voltarem à forma, já que terão que ficar em quarentena por mais 14 dias ao retornarem. Além disso, Gigli acha que o Campeonato Italiano tem pouca opção a não ser anular a temporada.

No atual elenco da Juve, Paulo Dybala, Daniele Rugani e Blaise Matuidi já testaram positivo para a covid-19.

Facebook Comments