COMPARTILHAR

Nesta segunda-feira, o Santos oficializou a contratação do técnico Ariel Holan, ex-Universidad Católica, do Chile. O Peixe será apenas o quarto clube da carreira do comandante de 60 anos, que já teve experiência como treinador de outra modalidade esportiva.

Natural de Lomas de Zamora, em Buenos Aires, na Argentina, Holan iniciou a sua carreira jogando hóquei na grama, mas logo abandonou a profissão para se tornar técnico da modalidade por 18 anos. Em 2003, dirigiu a equipe feminina do Uruguai até o bronze dos Jogos Pan-Americanos.

No mesmo ano, no entanto, mudou de esporte. O argentino foi contratado para ser auxiliar de Jorge Burruchaga no Arsenal de Sarandi, da Argentina. Nos anos seguintes, passou por diversos clubes do país na função de auxiliar e analista de desempenho, até assumir o cargo de treinador do Defensa Y Justicia, em 2015.

Até então um time de pouca expressão, o Defensa ganhou destaque nas mãos de Holan. A equipe chegou a brigar pelo título nacional em 2016, mas viu o Lanús levantar a taça. E a principal ferramenta do comandante para o sucesso foi olhar para a base.

Já em 2017, Ariel foi contratado pelo Independiente, o seu clube do coração. Em seu primeiro ano, também optou por utilizar pratas da casa e levou a equipe até a conquista da Copa Sul-Americana, derrotando o Flamengo na decisão, em pleno Maracanã.

Apesar da forte ligação com o time, anunciou que deixaria o cargo ao final daquela temporada, pois estava sofrendo muita pressão de torcedores organizados. No entanto, acabou chegando a um acordo com a diretoria e acertou sua permanência em Avellaneda, onde ficou até o meio de 2019.

Cinco meses depois, assumiu a Universidad Católica, do Chile, onde conquistou o campeonato nacional, dominando o torneio de ponta a ponta. Na Libertadores, deu trabalho para Inter e Grêmio, seus adversários de grupo, mas acabou ficando apenas na terceira colocação e, portanto, garantindo vaga na Sul-Americana. Na Sula, caiu nas quartas de final, ao perder para o Vélez, da Argentina.

Ao longo destes pouco mais de cinco anos como técnico, Holan já demonstrou que a sua preferência de estilo de jogo é com uma saída de bola de qualidade e uma transição muito rápida para o ataque. Quando não tem homens de velocidade disponíveis, a tendência é alternar para uma pressão alta, forçando o erro do adversário.

Em sua primeira fala como técnico do Santos, inclusive, Holan já destacou a sua mentalidade, tanto em relação as questões táticas quanto sobre as categorias de base.

“Estou muito feliz em dirigir o Santos, um clube com tantos craques como Pelé e Neymar. Será um desafio participar de uma das ligas mais equilibradas do mundo, mas confio plenamente que vamos entregar um bom resultado para a torcida com mentalidade ofensiva e que os jogadores mais novos sejam aproveitados com os mais experientes. Sei que é uma responsabilidade muito grande, mas estou animado”, disse.

À procura de auxiliares para a sua comissão técnica, Ariel Holan deve chegar ao Peixe até o fim dessa semana, com a estreia prevista apenas para o Campeonato Paulista.