COMPARTILHAR

O técnico Hernán Crespo foi mais um são-paulino a manifestar sua revolta com a arbitragem do duelo desta quarta-feira, contra a Chapecoense, no Morumbi. Passado o empate em 1 a 1, o comandante tricolor não perdeu a elegância, mas foi bastante duro ao falar sobre o juiz Dyorgenes de Andrade, que acabou expulsando Rodrigo Nestor após revisão do VAR em um lance, para muitos, exagerado.

“Eu acho que em todas as profissões existem categorias. Atletas, treinadores, árbitros, mas acredito que não pode vir ao São Paulo para fazer experiência. Eu, para chegar até aqui, percorri um longo caminho. Então, desejo respeito por isso [aponto para o escudo do clube]. Que venha gente com experiência ao Morumbi, gente que tenha a experiência para estar aqui, e acredito que hoje, esta noite, isso não aconteceu”, disse Crespo.

Pressionado para conquistar a primeira vitória no Campeonato Brasileiro, o São Paulo foi a campo com uma escalação extremamente ofensiva. E a estratégia, até a expulsão de Nestor, vinha dando certo. Além de abrirem o placar, os donos da casa criaram diversas oportunidades de gol e sinalizava que não teria problemas para construir o resultado.

“A ideia até a expulsão foi perfeita, porque chegamos a uma diferença técnica, de estratégia, de dois, três gols. Não aconteceram [os gols] porque a expulsão condicionou absolutamente tudo. Já falei do árbitro, já falei do VAR. Foram infelizes”, prosseguiu Crespo.

Com mais um tropeço no Brasileirão, o São Paulo somou apenas dois dos 12 pontos disputados no campeonato até agora. Com dois empates e duas derrotas, o Tricolor agora espera acabar de uma vez por todas com essa péssima sequência recente no próximo domingo, no clássico contra o Santos, na Vila Belmiro, partida que marcará o reencontro de Fernando Diniz com seus antigos atletas.

Marcelo Baseggio