COMPARTILHAR

Rafael Nadal, enfim, levantou seu primeiro troféu em 2019. Depois de um começo de temporada do saibro frustrante, com três eliminações nas semifinais, o espanhol enfrentou Novak Djokovic na final do Masters de Roma e, com direito à pneu, venceu o rival por 2 sets a 1, com parciais de 6/0, 4/6 e 6/1.

A conquista vem em boa hora, no torneio que antecede Roland Garros e que dá mais moral para Nadal, que vinha sofrendo de uma desconfiança, até o momento. Já Djokovic, mesmo com a derrota, segue com uma boa vantagem no ranking para o número 2, que até aumentou, graças a melhor campanha do sérvio em Roma, em relação ao ano passado.

Reeditando a final do Australian Open, a última vez que Djoko e Nadal haviam se enfrentado, o espanhol deu o troco, agora em seu piso preferido. Naquela ocasião, o sérvio ganhou do rival com muita facilidade e neste domingo, Nadal quase devolveu na mesma moeda. Afinal, o primeiro set foi um passeio do número 2 do mundo. Sem dar chances para o adversário, o espanhol sacou com muita firmeza, devolveu de forma agressiva e não deu chances para Nole entrar totalmente na partida.

Logo no começo do segundo set Djokovic venceu o primeiro game da partida. Tentando dar menos brechas para o espanhol, Djoko foi crescendo no jogo e ameaçando o saque de Nadal, que demorou para ceder, mas no nono game, foi quebrado, dando a vantagem para o sérvio. Nole não desperdiçou, confirmou os saques com segurança, após salvar um triplo break-point e empatou o jogo.

Parecia que a partida seria equilibrada no set decisivo, mas logo de cara Nadal conseguiu uma quebra, que desestabilizou Djokovic. O sérvio não escondeu a frustração, descontando a raiva na raquete. Sem conseguir devolver a quebra, Nole via o adversário executando golpes firmes, e sem sofrer ameças. O espanhol ainda voltou a vencer o saque do rival para ampliar mais a diferença no placar e ganhar a confiança para caminhar para a vitória.

 

Facebook Comments